quinta-feira, 15 de setembro de 2016

Ciúmes: Algo A Ser Tratado!

“O ciúme é só vaidade” já diz a canção A Maçã do Raul Seixas. Já pararam pra pensar em como o ciúme é um sentimento bobo e desnecessário? Em como ele é nosso em todos os sentidos? Você sente ciúme da sua namorada com os amigos dela não porque não confia nela. Você não confia é em você mesmo! Você não se acha tão interessante assim, e acha que ela pode facilmente se apaixonar por um deles, e o pior, em sua mente limitada isso seria um deixar de gostar de você… A monogamia faz com que tratemos aos outros e a nós mesmos como produtos… Quando fica velho, quando já não é tão belo e/ou interessante, a gente troca por outro. Você faz isso com seus celulares, e com seus namorados também.
A partir do momento em que você se liberta da monogamia e passa a entender que novos amores não destroem amores antigos, e que o coração tem amor de sobra pra você e outros amores dela (sejam amigos ou parceiros sexuais) o ciúme deveria deixar de existir, certo? Mas na prática não é tão fácil assim! Somos ensinados a desde pequenos ter ciúmes de tudo que é “nosso”… Começamos com nossos brinquedos, e estendemos aos nossos namorados. Não é simples você olhar pra sua namorada abraçada com outro cara e falar olha que lindo… Mas devia ser, não? A gente não sente ciúmes de quem gosta, a gente sente ciúmes do que “possui”. Eu por exemplo tinha muito ciúmes dos meus livros, mas eles são objetos, não pessoas, e olha que até deles eu já não tenho mais, já peguei livro “favorito” e simplesmente dei, to me desapegando do que é material cada dia mais, daqui a pouco viro hippie se minha lua em touro não me atrapalhar haha. Agora com relação às pessoas, eu já senti ciúmes bobos no passado sim, mas nunca impus o meu ciúme, nunca fiz escândalo nem nada assim. Mesmo eu sendo monogâmico eu já achava que aquilo era algo meu e que eu que tinha que tratar. Então foi o que eu fiz, comecei a ler muito sobre o assunto e absorver o que lia. Teve um tempo em que eu já não sentia ciúmes mais, mesmo estando em uma relação monogâmica, o que por vezes era visto como “falta de amor” por meus companheiros. Mas pra mim falta de amor é o que pessoas já fizeram comigo por causa de ciúme, elas tinham um amor doente, e não queriam remédio pra ele. Já tive namorado que criou perfil falso na internet pra dar em cima de mim e ver qual seria minha reação.
Isso é um sentimento bom e saudável? Ciúme não é prova de amor. Ciúme não é um sentimento bonitinho. Ciúme é a insegurança de que você seja bom o bastante pra que alguém queira estar do teu lado. Ciúme é posse, é a errônea idéia de que a pessoa com quem você namora é “sua” e não pode se divertir com outras pessoas, ou pode de maneira limitada. Porquê a gente se importa, se entristece, se chateia com alguém também fazer feliz quem a gente ama? Frequentemente me perguntam se eu não tenho ciúmes do Caio ficar/namorar com outras pessoas. Ora, porque eu deveria ter um sentimento tão bobo? Eu sempre respondo pra essas pessoas que eu só vou ficar triste/chateado/com raiva de alguém se esse alguém machucar ele, fizer ele sofrer. Agora se estão fazendo ele feliz e dando momentos de alegria e prazer a ele eu tenho que ficar feliz com isso. Eu amo inclusive que ele me conte sobre suas outras paixões, não por cobrança, mas porque realmente eu fico feliz em saber que pessoas fazem ele feliz e lhe dão prazer. Ah, e eu sou muito seguro do sentimento que rola entre nós, de toda a história que a gente já viveu nesse pouco tempo. E sei que o sentimento dele por qualquer outra pessoa não “ameaça” o meu, são sentimentos diferentes, únicos. E sim, ele pode vir a querer terminar comigo sim, mas por motivos pessoais, por não estar satisfeita com nossa relação, mas nunca porque alguém foi mais interessante que eu e tomou meu lugar. Meu coração no lugar dele ta definido faz tempo e ainda tem espaço pra muita gente se ele quiser. São amores diferentes e essa idéia de que um amor ameaça a existência do outro é uma bobeira.
Bom era pra falar sobre o ciúme e acabei falando demais sobre mim e até mudando um pouco o foco né? Mas isso é um blog pessoal, não quer saber de mim não o leia kkkkk Resumindo o que quero dizer aqui, é que o ciúme é um sentimento desnecessário, e todo seu! Não é seu amor que provoca, é algo seu e que você deve perceber e tratar. Sim, tratar! Pessoas matam por ciúmes! Você não acha que isso é uma “doença”? Eu indico alguns livros que li inclusive quando eu era monogâmico e me ajudaram bastante, e se você ver que seu ciúme pode estar num nível muito forte, indico a ajuda de um psicólogo também. Sejam relações poliamorosas, livres ou monogâmicas, mas que sejam relações saudáveis! Dicas de livros:
  • #Osho – “Consciência: A Chave Para Viver Em Equilíbrio(Ed. Cultrix) [o cara é foda! Eu gosto muito dos escritos dele. Ele tem livros sobre específicos sobre amor e ciúme mas que infelizmente eu não li ainda, mas em seu livro “Consciência” ele já toca no assunto de uma forma muito legal!]
  • #Valério Albisetti – “Ciúme: Conhecer, Enfrentar, Superar” (Ed. Paulinas)
  • #Elizabeth Zamerul Ally – “Juntos Porém Livres: Harmonizando Amor E Individualidade”
Bom, por hoje é só. Lembrando que esses livros que falei não tratam especificamente de Poliamor/Amor Livre, mas sim do ciúme e do respeito a individualidade do outro, portanto os recomendo à todos, inclusive monogâmicos. Possamos ser saudáveis e felizes em nossas relações! Beijos e Bênçãos à todos!

Nenhum comentário:

Postar um comentário