quinta-feira, 15 de setembro de 2016

Conceito de Fidelidade Em Relações Poliamorosas



Às vezes algumas pessoas ao saber que sou poliamorista dizem "nossa, você trai seu namorado e ele sabe?" ou então aquelas que sabem que isso não é traição mas ainda assim perguntam "mas vocês tem algum conceito de fidelidade? Porque parece que pode tudo"
Então, vamos por partes. Mas antes vou colara aqui a definição de Fidelidade segundo a Wikipédia: "Fidelidade (do latim fidelitas pelo latim vulgar fidelitate) é o atributo ou a qualidade de quem ou do que é fiel (do latim fidelis), para significar quem ou o que conserva, mantém ou preserva suas características originais, ou quem ou o que mantém-se fiel à referência."
Após essa breve definição vamos às respostas e considerações sobre essas questões:
1-Não, eu não traio meu namorado. Traição ou Infidelidade só ocorre quando um acordo é quebrado. Um casal que tem uma relação monogâmica, e consequentemente um acordo de exclusividade afetiva e sexual e um deles (ou ambos) se relaciona com outra pessoa sem o conhecimento e consentimento do outro está sim traindo aquela pessoa, sendo infiel ao acordo que havia entre eles. Infidelidade não quer dizer se deitar com uma outra pessoa ou algo assim, mas sim quebrar um acordo que foi feito. Eu e meus amores não temos nenhum acordo de exclusividade, logo eu posso sim beijar e transar com quem eu quiser que eu não estou traindo-os;
2- Não, não pode TUDO! Relações não monogâmicas(ao menos as poliamorosas) são pautadas em acordos sim, aliás ele faz parte de suas bases e é uma das coisas que diferencia o Poliamor de outras formas de não-monogamia como o RLi. Agora, não há regras pré-definidas, quem decide o que "pode ou não pode" numa relação são os seus envolvidos. Cada casal/trisal/quarteto/grupo faz seus acordos e decidem suas regrinhas;
3- Sim, nós temos conceitos de fidelidade! Esse conceito se baseia exatamente no que eu falei acima, nos acordos que são feitos e a quebra deles é o que configura traição/infidelidade. Alguns casais/trisais/grupos usam o mesmo conceito de fidelidade de um casal monogâmico: São fechados entre um número x de pessoas e elas não podem se relacionar com outros de fora, e chamamos isso de Polifidelidade. Mas quem vive um poliamor aberto também vai ter seu conceito de fidelidade baseado no seus acordos, e isso não vai ter necessariamente haver com o fato de se envolver com uma terceira pessoa. Vou dar um exemplo meu pois esse blog é pessoal e è o que eu gosto de fazer, falar da minha experiência: Eu e meu namorado quando decidimos mudar de casa e morar juntos fizemos um acordo, de que só poderíamos trazer outras pessoas pra nossa casa se ja ha conhecêssemos e não sem antes avisar o outro com antecedência. Na verdade essa regrinha foi criada por ele e eu concordei. Mas antes mesmo de que eu me mudasse para a casa, ele recebeu uma visita de um menino, que ficou com ele e dormiu em nossa casa e ele só me avisou isso na hora que estava indo buscar o garoto. Eu me senti muito mal na época e tivemos uma discussão bem complicada por isso. Ele me traiu em ter ficado com o cara? Não! Mas me traiu em ter quebrado um acordo que havia entre nós e que inclusive ele mesmo tinha criado! Espero que meu exemplo tenha sido bem claro, mas há outros casos específicos também: Se um casal decide por exemplo que o cara não pode se envolver com uma amiga dela ou que ela não pode ficar com um ex-namorado e eles fazem isso, eles estão quebrando o acordo e traindo. Então há sim um conceito de fidelidade e tem a mesma importância que a exclusividade tem para um monogâmico.

Nenhum comentário:

Postar um comentário