terça-feira, 13 de setembro de 2016

O Homem Gay Não É Tão Privilegiado Assim no Poliamor


Bom, antes que alguém venham me apedrejar, leia o texto. Não gostou de algo? Criticas são bem vindas. Não pretendo ser dono da verdade, mas pró-feminista eu pretendo e faço o possível pra ser. Quem me conhece sabe que não sou machista(ou ao menos tento muito não ser)
Esse texto é pra falar de Poliamor/RLi e outras relações não-monogâmicas consensuais, e a presença de gays nesse "meio". O motivo do título é o de uma comparação (que não pretende ser uma equiparação, apenas quero usar o exemplo como base e não diminuir a importância do debate citado).
Sempre fala-se sobre como o homem é privilegiado e ao invés de criticado por ter mais de uma parceira, vai ser considerado o garanhão. Já a mulher, se tem mais de um@ parceir@ é considerada a "puta". Infelizmente essa porra é verdade. Vivemos em uma sociedade machista e misógina e isso se reflete mesmo nos meios ditos libertários.
Agora, o que temos que ver é que esse é um privilégio hétero e só vai se estender à um homem gay/bissexual se esse exibir mulheres por aí e não assumir suas relações homossexuais. Pois pro gay assumido, principalmente se for afeminado, as coisas são bem diferentes
A comunidade gay sempre foi vista como promíscua. Quem nunca ouviu falar, quando um casal gay se separa, que "viado é assim mesmo, não para com ninguém!"? Até os filmes/livros que retratam uma relação homossexual, ou o casal separa no fim ou um dos dois morrem. É raro um que o casal "dê certo", pois a visão que se passa é essa, de que amor gay não existe, as relações são puramente sexuais e por isso acabam logo assim que um ou ambos enjoam. Logo pra um gay assumir-se como não monogâmico pode ser tão ou quase tão difícil quanto pra uma mulher. Nós não somos considerados os garanhões por isso não. Pelo contrário, quando é pra falar de viado afeminado, o termo puta também é usado em grande escala.
E não pense que esse preconceito vem apenas dos héteros não. A quantidade de gays que eu já conheci que quando falo que vivo Poliamor diz que isso é putaria, que eu não gosto de ninguém e tal não ta no gibi. E vocês mulheres sabem disso, pois aposto que já ouviram coisas parecidas de suas amiguinhas mais "conservadoras".
Bom, não estou aqui querendo comparar esses casos numa tentativa de diminuir nenhum dos dois. Quero apenas chamar atenção para a semelhança entre eles. O Patriarcado não fere só as mulheres, mas aos gays também. A homofobia é carregada de machismo e misoginia. Ou nunca percebeu que quando um hétero (ou até um gay, do tipo 'machão') ofende um viado ele usa de palavras no feminino, para reafirmar que ele não é homem, Que ele é uma "mulherzinha"?(como se isso fosse algo ruim...)
O Poliamor não tem espaço para mulheres, negr@s, trans, gays afeminad@s... Ele tem sido (e eu percebo muito isso em grupos de Facebook por exemplo) um lugar onde o que ta reinando é homem-branco-cis-hétero, atrás de ter várias mulheres (e geralmente, mulheres que só tenham ele como homem e só fiquem com outras mulheres). Precisamos nos impor ao Machismo que reina nesses grupos/lugares/eventos sim. Mas precisamos de um Feminismo interseccional, que perceba que a travesti, o gay afeminado, a pessoa gorda, a pessoa negra, também são vítimas. Os homens tem um privilégio sobre as mulheres sim, mas um tipo bem específico de homem. Então não me coloquem no mesmo saco que eles, pois eu também sou chamada de Puta.

Nenhum comentário:

Postar um comentário