terça-feira, 13 de setembro de 2016

Sobre Minha Não-binariedade


Eu fui questionade a pouco tempo sobre eu ter "deixado de ser queer" e agora "voltar a ser" e achei que seria legal fazer um post sobre isso...
Eu nunca deixei de ser uma pessoa queer. O que acontece é que por minha depressão eu tive dois comportamentos diferentes nesse último ano... Primeiro, uma fase na qual eu tentei me adequar, tentei ser um homem gay cis que saia pra festas, bebia cerveja e dançava funk e sertanejo. E depois dessa fase veio uma, na qual estou até hoje, na qual eu simplesmente perdi minha vontade de usar maquiagem e coisas que eu gostava... E perdi a coragem que eu tinha antes pra aguentar as ofensas e olhares de desprezo que vinham de brinde.
E por causa da  “passabilidade” que apenas aumentou quando parei de usar o que gostava (É apenas como um homem gay que me viam e assim continua sendo), achei melhor parar de me definer como uma pessoa trans para não roubar lugar de fala dessas pessoas. Mas eu nuca deixei de ser eu: uma pessoa. É assim que me enxergo! Eu não olho pra mim e vejo um homem, tampouco uma mulher. Eu sinto que sou “uma outra coisa”, e puxa, eu tenho o direito de me definer assim!
Foi o que ume amigue que também é não-binária me ajudou a enxergar novamente a pouco tempo: Eu não preciso estar vestide de uma forma andrógina pra me definer com N-b. Meu gênero ta em mim, no meu coração, na minha alma. E me calar porque as pessoas discordam disso não é o correto! Me calar é aceitar que o mundo se divide nesse limitador binário de homem x mulher, hétero x gay. E no meu mundo as coisas não são assim. No meu mundo nem Deus@s se limitam a gêneros. No meu mundo eu sou Deusa e Deus, Homem, Mulher e Queer…
Eu não me importo que as pessoas me enxerguem como um homem gay, isso é problema delas. Eu não me importo que me tratem com pronome masculino, não mesmo. Mas essa é a visão das pessoas sobre mim, a visão limitadas dela. Mas eu vou falar de mim no pronome que eu me sentir mais confortável; Eu vou usar maquiagem, pintar as unhas; Eu vou usar as roupas que eu achar bonitas, seja um bermudão bem boyzinho ou um shortinho curto e colorido! Eu vou seguir é o meu coração e a visão que tenho de mim mesma, que mesmo sendo ainda limitada pois tenho muito a descobrir aqui dentro, é mais ampla e verdadeira do que daqueles que só enxergam meu exterior.
Se reafirmar, se assumir, se amostrar… Também é uma forma de resistência.
E eu Resisto! EU EXISTO!

Nenhum comentário:

Postar um comentário